Caminhoneiros fazem protesto em Catalão para cobrar cumprimento do piso mínimo do frete

Segundo líder do movimento, acordo feito após greve de maio não está sendo cumprindo e situação ‘está pior’ do que antes; ANTT diz que fiscaliza casos. Paralelamente, prefeitura bloqueia ferrovia e cobra impostos de de mineradora.

Vários caminhoneiros realizam um protesto nesta segunda-feira (29), em Catalão, região sudeste de Goiás, cobrando o cumprimento do piso mínimo do frete. Os veículos estão parados bloqueando as entradas das empresas da região e cobram fiscalização por parte da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para que os valores acordados sejam pagos.

O representante dos caminhoneiros, Wallace Landim, disse que o piso foi uma conquista da categoria a greve que parou o país em maio. Porém, segundo ele, a situação não melhorou.

“Estamos fazendo uma manifestação exigindo o nosso direito, que conseguimos na última paralisação. Mas não estão repassando o valor para gente. Inclusive, está pior do que quando a gente parou daquela vez”, disse Landim .

Ele explicou que a manifestação será realizada por tempo indeterminado.

Em nota, a ANTT disse que “mantém constante diálogo com a categoria dos caminhoneiros e demais entidades envolvidas nesta questão”. A empresa afirmou ainda que há duas equipes de fiscalização trabalhando na BR-050, próxima a Catalão, para verificar possíveis casos irregulares.

A agência declarou também que o piso mínimo de frete “está vigente” e que tem intensificado as fiscalizações para o cumprimento da regra.

(G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *