Duas cidades no litoral de SP irão deixar praias abertas no Réveillon após falta de reforço do estado

Santos, São Vicente e Guarujá decidiram manter a decisão e bloquear acesso de pessoas à orla nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro.

Praia Grande e Peruíbe, no litoral de São Paulo, decidiram manter as praias liberadas durante o Réveillon, após o Governo do Estado anunciar que não se responsabiliza por fiscalização. Santos, São Vicente, Guarujá e Itanhaém manterão o acesso à orla bloqueados, mas afirmam que a efetividade da ação depende de auxílio da Polícia Militar. As demais cidades da Baixada Santista ainda não se posicionaram sobre o assunto.

O bloqueio às praias nos dias 31 e 1º de janeiro foi definido durante uma reunião do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista (Condesb), que envolveu os nove atuais prefeitos e os eleitos da região. A decisão foi anunciada pelo presidente do grupo e prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB)

Segundo Barbosa, nesses dias há maior quantidade de pessoas na orla, tanto durante o dia como na virada do ano. “Objetivo é evitar a vinda das pessoas, porque as pessoas vêm com o objetivo de passar o Réveillon na praia e isso não será possível”, disse em coletiva de imprensa após a reunião, na última quarta-feira (23).

Para que a ação seja efetiva, seria necessário o apoio da Polícia Militar na fiscalização das barreiras nas orlas das cidades, segundo o Condesb. No entanto, o pedido de reforço foi negado pelo Governo do Estado, que afirmou que a fiscalização de estabelecimentos comerciais, assim como de praias e demais espaços turísticos municipais, é de responsabilidade das prefeituras.

Situação das praias

Devido à falta de apoio, a Prefeitura de Praia Grande informou, em nota, que as praias do município estão liberadas. No entanto, novas medidas para o período de virada de ano serão estudadas pela administração municipal e divulgadas nos próximos dias. A prefeitura destacou, ainda, que a queima de fogos foi suspensa e que está proibida a queima de fogos particulares.

Peruíbe informou que a proibição só será possível caso haja apoio do estado, pois o município não possui estrutura para o fechamento de toda a extensão do local. Mesmo assim, a cidade adotou outras medidas para contenção de aglomerações, como dobrar o efetivo de fiscais de posturas, da Guarda Civil Municipal e a suspensão das autorizações para o transporte coletivo turístico.

Enquanto isso, SantosSão Vicente, Guarujá e Itanhaém mantiveram a decisão e bloquearão o acesso à orla e ao mar das 7h do dia 31 de dezembro às 6h do dia 1º janeiro. A regra proíbe tanto o uso da faixa de areia como também do calçadão e, para isso, serão utilizados gradis para restringir o acesso dos pedestres.

Em São Vicente haverá também interdição das vagas de estacionamento na Praça Tom Jobim e na Praia do Gonzaguinha e do Itararé, além de barreira seletiva para acesso às ruas Constituição e Coaraci Paranhos, no Itararé, com entrada pela Rua Cláudio Luís da Costa.

Em Guarujá, o trânsito de veículos nas avenidas das praias seguirá liberado. Mesmo assim, o funcionamento de quiosques e comércio ambulante nas orlas marítimas, está proibido nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro.

A Prefeitura de Bertioga afirmou que definirá ainda o planejamento do Réveillon. Mongaguá não respondeu as questões enviadas pela reportagem até a última atualização desta matéria.

Barreiras sanitárias

Além de decidir pelo fechamento das praias, as prefeituras também anunciaram barreiras sanitárias para evitar a vinda de ônibus e vans de turismo para a região neste período. O Condesb chegou a pleitear a realização de barreiras sanitárias nas rodovias de acesso à Baixada, no Sistema Anchieta-Imigrantes e Mogi-Bertioga. No entanto, o pleito também foi descartado pela Artesp e Ecovias.

Segundo divulgado até o momento, haverá barreiras de orientação sanitária nas entradas de Santos, São Vicente e Guarujá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *