Fiscalização e Guarda Municipal intensificam ações contra cerol e linha chilena

A Guarda e o Departamento Municipal de Fiscalização de Ibaté vão
intensificar as rondas com intuito de inibir a utilização do cerol ou
linha chilena, durante as férias escolares.

Esse período é comum que crianças e adolescentes empinem pipas pelas
ruas de Ibaté. “Porém, existe uma preocupação: o uso de cerol e da linha
chilena, o que deixa toda a população preocupada e incomodada,
principalmente, os motociclistas”, comentou o comandante da Guarda,
Vitor Reis.

Ele avisa que a corporação e os fiscais da prefeitura estarão nas ruas
com o objetivo de orientar e evitar que aconteça algum acidente. “Como
fazemos todos os anos, num primeiro momento a gente alerta os jovens que
gostam de soltar pipa, bem como, os pais e responsáveis das crianças.
Constatado o uso do cerol, o material será apreendido e a Fiscalização
aplica a multa de acordo com a Lei Municipal”, alertou.

Vitor alerta que os maiores riscos do cerol e da linha chilena são os
cortes causados por elas. “Os motociclistas são as principais vítimas,
pois estão mais vulneráveis ao perigo. O pescoço é a parte sempre mais
atingida”, afirmou.

Especialistas afirmam que no pescoço passa uma artéria importante do
corpo humano e o corte dela pode provocar um intenso sangramento levando
até a morte, em poucos minutos.

Em outros casos, motociclistas tentam retirar a linha do pescoço e
acabam decepando dedos, cortando mãos e pulsos. Outros acidentes com
cerol envolvem pedestres, ciclistas, skatistas e outros.

Em Ibaté, a Lei Municipal n°2172/05 proíbe o comércio, a fabricação e o
uso de cerol, resultando em multa para quem for pego com o material
cortante.

CEROL

Cerol, cortante e preparo são nomes atribuídos a uma mistura de cola de
sapateiro com vidro moído que é aplicada em linhas de pipas para cortar
as linhas de outras no ar, uma espécie de desafio com finalidade
recreativa.

O cerol é colocado diretamente na linha que será usada para empinar a
pipa. A cola serve como aglomerante, enquanto o pó de vidro ou ferro
serve como abrasivo. O resultado é uma linha extremamente cortante, que
pode trazer riscos para quem aplica e para quem usa a linha com cerol.

Além disso, as linhas com cerol trazem riscos para a vida selvagem, em
especial pássaros, para pedestres, ciclistas, motociclistas e motoristas
de carros conversíveis.

No Brasil, as atividades envolvendo a substância têm seu ápice nos meses
de janeiro, fevereiro, junho, julho e dezembro, que correspondem aos
períodos de férias escolares, onde é bem maior a realização de disputas
entre as crianças e adolescentes para ver quem consegue cortar a linha
da pipa do outro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *