Cadela fiel passa horas em cima de túmulo do dono de 2 anos falecido

Os pelos da cadela Mino, que antes eram tão pretos, deram lugar a um tom desbotado de marrom e isso tem um motivo muito especial. Mino, que vive na província de Long An, no Vietnã, passa a maior parte do dia – e da noite – em cima do túmulo do seu melhor amigo, o seu dono Khet de dois anos que morreu afogado.

Faça chuva ou faça sol, ela está lá, por isso a família acredita que a coloração seja por conta do sol. Assim tem sido nos últimos três dos quatro anos de vida da Mino. Segundo o portal de notícias Milenio, a tragédia aconteceu quando Khet aproveitou a distração da mãe enquanto cozinhava, para sair de casa. Ele atravessou a estrada de terra que separa a casa do canal próximo e caiu na água, infelizmente ele não foi socorrido a tempo.

Desde que Khet, 2 anos, faleceu, a cadelinha não sai de perto do túmulo. (Foto: Reprodução Youtube/Agencia EFE)

Segundo Nguyen Thi Ut, a avó do menino, desde o terceiro dia do seu funeral, Mino desenvolveu o hábito de subir e permanecer no túmulo da criança que está localizado nos fundos da casa da família.

“Tentei fazer com que ela parasse de ir porque não me parecia certo, mas sempre acabava voltando. No final decidi deixá-la”, disse Ut.

Mino e Khet eram muito apegados um ao outro e praticamente cresceram juntos antes que o menino partisse, mas isso não faz com que a cadela esqueça o seu melhor amigo. De alguma maneira, ela sabe que Khet está ali e faz questão de fazer companhia a ele diariamente.

“Ela sempre chega em casa por algumas horas ao meio-dia e depois sai de novo, mesmo se estiver ensolarado ou chovendo. Às vezes ela passa a noite toda”, contou Ut.

A família tem outras crianças e netos, mas de acordo com a avó, embora Mino seja carinhosa, ela não é apegada a nenhum deles como foi com o seu falecido neto.

“Às vezes, ela pega um pouco de comida ou fruta e os deixa perto do túmulo”, revelou Nguyen Thanh Go, pai da criança falecida.

Testemunhando a demonstração de amor da cadela para com a criança, um amigo da família doou um galpão para que ela ficasse protegida do tempo, mas um familiar contestou a posse do terreno. Portanto, a família de Khet pretende aproximar a sepultura da sua casa e então instalar o galpão para Mino.

“Tenho certeza de que, mesmo se movermos a tumba, Mino continuará a passar o dia lá”, afirmou a avó de Khet.

(Amo Meu Pet)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *