Diniz é demitido do São Paulo após seis jogos sem vitória no Brasileiro

Tricolor, que chegou a ter sete pontos de vantagem na liderança, agora está aos mesmos sete pontos do primeiro colocado Inter

De líder com sete pontos de vantagem a quarto colocado, sem vencer há seis jogos no Campeonato Brasileiro. O São Paulo elegeu um culpado pela derrocada e demitiu nesta segunda-feira (1º) o técnico Fernando Diniz. Raí, executivo de futebol, também deixou o clube. O auxiliar Marcos Vizolli, que trabalha nas categorias de base do Tricolor, deve assumir o time até o fim da competição.

A gota d’água para a demissão foi a derrota para o Atlético-GO, na última rodada, quando se vê a sete pontos do líder Internacional, ainda com cinco jogos por disputar. Além das seis partidas sem vitória no nacional, há também uma derrota para o Grêmio, na semifinal da Copa do Brasil. Ao longo do ano, pesaram também as eliminações no Campeonato Paulista e na Copa Sul-Americana.

O plano do São Paulo é contratar um técnico estrangeiro. Marcelo Gallardo, de saída do River Plate, é o sonho de consumo, mas é considerado caro. Miguel Ángel Ramírez, do Independente del Valle, é outro nome bastante cotado. Por fora, Abel Braga, sem garantias de que permanecerá no Inter, também é uma opção. Apesar da história no banco de reservas tricolor, o hoje coordenador técnico Muricy Ramalho não assumirá o cargo.

Diniz, hoje com 46 anos, chegou ao Morumbi em setembro de 2019. De início, o estilo de toque de bola exigido para os seus jogadores chamou a atenção, obteve algum resultado mas, nas últimas partidas, passou a ser alvo de profundas críticas. Mesmo o goleiro Tiago Volpi chegou a contestar o ‘toque de bola’ no campo de defesa.

O estilo durão do treinador com os jogadores também foi alvo de críticas, como por exemplo, na derrota para o Red Bull Bragantino, em Bragança Paulista. Naquela oportunidade, então pela 28ª rodada, ele ofendeu publicamente o meio-campo Tchê Tchê e o caso repercutiu mal nos bastidores do clube. Depois disso, na 31ª rodada, o time sofreu a pior goleada de sua história no Morumbi, por 5 a 1, para o Internacional.

Ao todo, foram 71 jogos (34 vitórias, 20 empates e 20 derrotas), com 54,5% de aproveitamento. Desde setembro de 2019, no empate sem gols contra o Flamengo, o time marcou 120 gols (1,56 de média) e sofreu 89 (1,16).

O São Paulo é o quarto colocado, com 58 pontos, e está ameaçado inclusive de não se classificar diretamente para a fase de grupos da Libertadores. O próximo compromisso do clube é contra o Ceará, na quarta-feira (10), às 21 horas, no Morumbi.

Além de Diniz, o São Paulo confirmou as saídas do preparador físico Wagner Bertelli e os auxiliares Márcio Araújo e Eduardo Zuma, que faziam parte da comissão técnica.

Raí também deixa o clube
Na mesma nota em que informou a demissão do treinador, o São Paulo também oficializou a saída de Raí, que optou por deixar o cargo de diretor executivo de futebol. No fim de 2020, ele acertou a permanência até o fim do Brasileirão, o que acabou interrompido com a queda de Diniz.

Para o cargo, o clube contratou Rui Costa, dirigente com passagens por Grêmio, Chapecoense, Athletico-PR e Atlético-MG.

(R7)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *