Ibaté faz Capacitação para Rede de Proteção à Criança e Adolescente

Município realizou nesta quinta-feira (28) encontro virtual com cerca de
300 profissionais da rede municipal. Capacitação deve continuar em
fevereiro

A Prefeitura de Ibaté, por meio da Secretaria de Promoção e Bem Estar
Social, está oferecendo para os profissionais de vários setores da
administração pública municipal um curso de capacitação à Rede de
Proteção à Criança e Adolescente e adequação à Lei da Escuta Protegida
(Lei n◦13.431/2017). Com essa capacitação, professores, assistentes,
agentes comunitários, enfermeiros, médicos de Ibaté, entre outros,
contarão com um protocolo de atuação padronizado para atendimento de
crianças e adolescentes vítimas de violência.
Dentro da programação do curso, nesta quinta-feira (28) foi realizado um
encontro virtual com a participação de funcionários públicos da
Secretaria de Promoção e Bem Estar Social, Saúde, Educação, Cultura,
Esporte, Conselho Tutelar, Guarda Municipal, Medidas Socioeducativa,
Conselho Municipal de Direitos das Crianças e Adolescentes, além de
outras entidades convidadas como APAE, ETEC, Drads Araraquara, Diretoria
de Ensino, escolas estaduais e integrantes da sociedade civil.
A abertura do encontro contou a participação do promotor de Justiça de
Ibaté,  Marco Aurélio Bernarde de Almeida; da juíza, Letícia Lemos Rossi
e da vice-prefeita do município, Ivani Almeida da Silva, que na ocasião
representou o prefeito José Luiz Parella. “Os vários setores públicos da
cidade já costumam ter uma boa interação de trabalho, por isso temos
tido muita adesão e sucesso nessa grande capacitação que Ibaté está
realizando”, destacou Ivani.
Na ocasião, o promotor Marco Aurélio agradeceu o convite e apresentou
dados do Governo Federal, nos quais em 2019 dos 159 mil registros de
violência aos direitos de pessoas com vulnerabilidade, 86,8 mil foram
contra crianças e adolescentes. “Neste cenário, a Lei n◦13.431/2017 vem
em bom momento, já que ela institui um sistema de garantia de direitos
da criança e adolescente vítima ou testemunha de violência”.
Já a juíza, Letícia Lemos Rossi, exaltou a iniciativa da Prefeitura de
Ibaté. “Eu acredito muito na importância desse projeto para Ibaté.
Infelizmente durante a pandemia os casos de violência contra crianças e
adolescentes cresceram muito e esses caso estão chegando até nós e sendo
tratados com toda a atenção. É muito importante formar esse ambiente de
acolhimento e de proteção a essas crianças e adolescentes. Tenho certeza
que essa experiência irá mudar a perspectiva do nosso município sobre o
assunto”.
Adriana Adegas Martineli, responsável pela Assistência Social de Ibaté,
destacou que em dois turnos, manhã e tarde, a capacitação reuniu nesta
quinta-feira (28) cerca de 300 pessoas. “Alguns profissionais fizeram o
treinamento home office, enquanto algumas equipes se reuniram em
pequenos grupos nas escolas, secretarias ou departamentos para
participarem juntos da capacitação, respeitando todos os protocolos
sanitários de controle ao Coronavírus”.
A primeira etapa do curso aconteceu de forma presencial nos dias 18 e 19
de janeiro, no auditório do Paço Municipal de Ibaté, com representantes
dos setores da administração pública municipal envolvidos. A capacitação
deve continuar em fevereiro com novos encontros e palestras ministradas
pelo professor do Programa de Pós-graduação em Psicologia da
Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Alex Pessoa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *