Prefeitura de Ibaté reforça importância da Vacinação contra Sarampo e Paralisia Infantil

No próximo dia 31 de agosto se encerra a Vacinação contra o Sarampo e a
Paralisia Infantil e buscando atingir o máximo possível das crianças que
estão entre a faixa etária do público alvo, a Prefeitura fará ações para
orientar os pais ou responsáveis.
Independente se a criança já tomou a vacina ou não, deve ser imunizada.
No caso da vacina contra o sarampo, há exceção para quem tomou a dose
mais recentemente, nos últimos 30 dias.
A campanha tem por objetivos: vacinar quem nunca tomou a vacina;
completar todo o esquema de vacinação de quem não tomou todas as
vacinas; e dar uma dose de reforço para quem já se vacinou
completamente, ou seja, tomou todas as doses necessárias à proteção.
Buscando atingir a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, a
Vigilância Epidemiológica de Ibaté irá até as Escolas Municipais de
Ensino Infantil (EMEI’s) solicitar para que os pais ou responsáveis
levem as crianças até uma unidade de saúde mais próxima de suas
residências para vacinar as crianças com idade entre 1 ano e menores de
5 anos, e explicar a importância da imunização.
Os pais ou responsáveis podem procurar uma das unidades mais próxima de
sua casa, como: os Programas Saúde da Família (PSF’s) dos Jardins
Icaraí, Mariana, Esfer e Popular, e nas Unidades Básicas de Saúde
(UBS’s) do Santa Terezinha e Cruzado.
A Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo e Paralisia Infantil
teve início no último dia 4 de agosto e a meta é atingir 95% das
crianças da cidade. “Pedimos para que os pais ou responsáveis levem as
crianças nesses últimos dias para se imunizarem, que vão até as unidades
de saúde dos bairros que ficam abertas das 8h às 17h atender a
população”, disse o prefeito José Luiz Parrella (PSDB).
O prefeito lembra que quem quiser levar as crianças para atualizar a
Carteira de Vacinação também pode. “Caso algum pai tenha dúvida se a
criança tomou ou não alguma vacina, basta estar com a Carteira de
Vacinação em mãos que os atendentes irão verificar se a criança não
tomou todas as vacinas necessárias, podendo assim realizar a
atualização”, finalizou Zé Parrella.

Sarampo

A doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, é transmitida pela
fala, tosse e o espirro, e extremamente contagiosa, mas pode ser
prevenida pela vacina. Pode ser contraída por pessoas de qualquer idade.
As complicações infecciosas contribuem para a gravidade do quadro,
particularmente em crianças desnutridas e menores de 1 ano. Em algumas
partes do mundo, a doença é uma das principais causas de
morbimortalidade entre crianças menores de 5 anos.
Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) o
certificado de eliminação da circulação do vírus. Atualmente,
entretanto, o país enfrenta surtos de sarampo em Roraima e no Amazonas,
além de casos já identificados em São Paulo, no Rio Grande do Sul, em
Rondônia e no Rio de Janeiro.

Pólio

Causada por um vírus que vive no intestino, o poliovírus, a poliomielite
geralmente atinge crianças com menos de 4 anos de idade, mas também pode
contaminar adultos. A maior parte das infecções apresenta poucos
sintomas, e há semelhanças com infecções respiratórias – como febre e
dor de garganta – e gastrointestinais – como náusea, vômito e prisão de
ventre.
Cerca de 1% dos infectados pelo vírus desenvolve a forma paralítica da
doença, que pode causar sequelas permanentes, insuficiência respiratória
e, em alguns casos, levar à morte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *